22 de set de 2011

Mastigar-se

Tenho fome da palavra
Da que fica e da que sai
Tenho fome do papel
Do que chega e do que vai
Tenho fome dessas letras,
dessa tinta e desses selos
Tenho fome dos meus versos
Escrevo-os para comê-los
Cada pé, cada rima
Cada espaço, vou engolir
Na esperança de, quem sabe,
Conseguir me digerir

6 comentários:

malisr disse...

Muito bom. Me remeteu Vamos Comer Caetano - A. Calcanhoto. Não tem a ver, mas tem a ver.

Karol. disse...

Digerir é mais difícil..

Lidiany Schuede disse...

Essa vontade de escrever, às vezes, nos devora mesmo. E depois...?
Eu me sinto livre! :)

TEATRO IMAGEM disse...

curti !! ;)

TEATRO IMAGEM disse...

curti !! ;)

Monalisa Marques disse...

Fala, rapaz!

Acabei de ressuscitar meu blog, e to procurando os antigos contatos blogueiros.
Tô de volta! \o/

E seu blog, belo e poético como sempre.

Abraço!
www.monacacheada.com